Equoterapia, uma relação de confiança entre pacientes e cavalos

Tempo de leitura: 5 minutos

Desde o ano de 1995, o Regimento de Cavalaria da PMMG oferece à sociedade mineira o projeto de equoterapia.

Há mais de 20 anos, crianças, adolescentes e adultos com algum tipo de deficiência fazem tratamento com o auxílio dos cavalos. Você sabia disto?

Tenho certeza que a maioria absoluta de quem estiver lendo este artigo nunca ouviu falar sobre este lindo projeto social, inclusive policiais militares.

 

equoterapia

 

Eu já tinha ouvido falar deste projeto social, mas somente esta semana pude acompanhar de pertinho a rotina do Centro de Equoterapia do Regimento de Cavalaria Alferes Tiradentes.

Aproveitei que estava fazendo um treinamento na Academia de Polícia Militar e fiz uma visita ao CERCAT. Fui recebido pelo SubTen Nunes, que coordena o projeto há 10 anos. Ele me apresentou o local e falou sobre o projeto.

 

 

Primeiramente, informou a definição técnica de equoterapia, pois muitas pessoas nunca ouviram este termo:

Equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiências.

ANDE – Associação Nacional de Equoterapia

 

Atualmente, são atendidos 121 crianças, jovens e adultos que apresentam patologias diversas, tais como paralisia cerebral, síndrome de Down ou autismo. Dentre estes praticantes, mais de 70% são crianças com até 12 anos de idade.

Para o desenvolvimento dos tratamentos, o centro conta com 7 policiais militares, 9 profissionais de saúde (médico, psicólogas, terapeuta ocupacional, fonoaudióloga e fisioterapeutas) e 6 cavalos que já não são utilizados no serviço típico de PM.

 

 

Os atendimentos são gratuitos e ocorrem de 2ª a 6ª feira, das 07:20 às 12 horas. O tratamento dura em média dois anos ou até o atingimento dos objetivos, conforme o desenvolvimento do paciente.

O Centro de equoterapia da PMMG é referência em Minas Gerais. Em 2005, foi firmado um convênio entre a Secretária de Estado de Saúde (SES/SUS), Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG) e PMMG. Em 2008, foi credenciado junto a Associação Nacional de Equoterapia.

Segundo o sargento Nobre, muitos pacientes vem de cidades distantes como João Monlevade, Ipatinga e São Joaquim de Bicas. E, às vezes, não é possível fazer a sessão em razão de chuva ou do sol muito quente.

Além das adversidades climáticas, outro grande problema é a fila de espera que está em aproximadamente 900 pacientes aguardando serem convocados para avaliação médica de seu caso.

 

 

O SubTen Nunes explicou que a AFAS (Associação Feminina de Assistência Social) realizou uma campanha para arrecadação de fundos para construir uma cobertura em parte da estrutura do centro, o que resolveria o problema climático.

A major Fátima, presidente da AFAS, explicou que a construção da cobertura trará dois benefícios para o tratamento dos praticantes:

1 – os tratamentos ocorrerão mesmo em dias de chuva ou sol quente;

2 – os tratamentos poderão ser estendidos também para a parte da tarde, o que diminuirá o número de pacientes na fila de espera.

A projeção orçamentária para construção desta cobertura foi de R$ 300.000,00, tendo sido arrecadados aproximadamente R$ 230.000,00. Hoje, fiz contato com a sargento Naiana e fui informado que o sorteio das camisas dos clubes já aconteceu, mas ainda é possível fazer doações para completar estes R$ 70.000, 00 que faltam.

As doações podem ser de qualquer valor para a Associação Feminina de Assistência Social:

  • Banco Itaú
  • Conta corrente: 06810-7
  • Agência: 7475
  • Contato: (31) 3261-1813

Vamos ajudar o projeto de equoterapia da PMMG? Eu já fiz minha doação. Doe você também! Compartilhe este artigo em suas redes sociais para que seus amigos também ajudem.

Com certeza, as crianças da equoterapia ficarão muito felizes com seu gesto de solidariedade.

 

 

Participo deste projeto desde 2012 e percebi neste período que o bem que conseguimos fazer para a sociedade e a comunidade de Belo Horizonte e cidades adjacentes é fantástico!

A demanda das instituições públicas são muito grandes, mas temos conseguido suprir, pelo menos parte dela. Sabemos do momento difícil pelo qual o país passa e que se reflete no projeto, mas, ainda assim, os resultados são maravilhosos!

O resultado dos praticantes e familiares dos praticantes é indescritível em relação ao que a PM e a FHEMIG conseguem com o pouco recurso disponível.

Rodolfo – fisioterapeuta

 

Para produzir este artigo, fiz três visitas ao Centro de Equoterapia. Foi muito gratificante ver como o contato com os animais é importante para a recuperação e desenvolvimento dos praticantes.

Em poucos minutos no local, pude perceber a alegria das crianças e dos pais ou responsáveis, bem como o carinho dos policiais militares e dos profissionais de saúde.

 

 

Para um portador de deficiência, cada sessão de equoterapia é comparável à águia que se lança ao voo pela primeira vez, sempre uma nova descoberta!

SubTen Nunes – Coordenador do Centro de Equoterapia

 

Você já conhecia o projeto de equoterapia da PMMG? Sabia o bem que os policiais militares, os profissionais de saúde e os cavalos fazem aos praticantes?

Que tal ajudar a melhorar este projeto social maravilhoso? Faltam somente R$ 70.000,00. Faça sua doação financeira!  E envie este artigo para seus amigos, convidando-os a também participar desta campanha!

5 Comentários


  1. Excelente e exemplar trabalho, apoiado e digno de todos os elogios!!!
    Excedentes CHO17.

    Responder

  2. Muito lindo este trabalho. Polícia militar não é só segurança pública. É saúde, promoção social, terapia, reabilitação. Precisamos valorizar mais quem nos protege.

    Nós excedentes do CHOPMMG 2017 apoiamos e divulgamos este projeto.

    Responder

  3. Parabéns a PMMG pelo projeto. A AFAS também está de parabéns pela campanha. Nos excedentes do CHO PM 2017, apoiamos o projeto e a campanha e pedimos a todos que compartilhem e ajudem este projeto!

    Responder

  4. Parabéns pela iniciativa. Nós militares excedentes do CHO 2017 apoiamos esse projeto. Sabemos da responsabilidade e dedicação de quem o promove. #CHO2017. #EXCEDENTESCHO2017

    Responder

Deixe aqui seu comentário