Qual é a principal arma policial?

Tempo de leitura: 4 minutos

Certa vez, fiz esta pergunta durante uma instrução em meu batalhão e percebi que a maioria dos militares instintivamente fizeram referência a armas de fogo, com destaque para a pistola e o revólver, pois todo policial trabalha com uma destas duas armas.

E você, em sua opinião, qual é a principal arma utilizada pelo policial?

Ainda que a maioria pensem em armas de fogo, não há resposta errada para esta pergunta. Por isto, gostaria de comentar sobre outros tipos de armas que nem sempre tem a devida consideração, mas que também são super importantes para o serviço.

1.  Treinamento tático

Treinar é essencial. De que adianta ter uma arma de fogo no coldre se não souber como, quando e porquê utilizá-la?

O treinamento provoca um automatismo no policial e o condiciona para abordagens de diversos níveis, sejam elas simples ou complexas.

Cada policial deve preocupar-se com sua capacitação pessoal. Alguns gostam de treinar, outros nem tanto.

Mas como diz um velho ditado de pátio de quartel: “quanto mais suor derramado nos treinamentos, menos sangue derramado na batalha”.

Uma equipe que treina regularmente tem uma tendência maior de sucesso em suas atuações.

2. Experiência profissional

Esta é uma arma que os policiais mais novos devem pegar emprestada com os mais antigões. No decorrer da carreira, os militares mais graduados passaram por muitas situações que valeram de aprendizado.

Normalmente, no bate-papo dentro da viatura, estes casos servem como referência para determinar a forma de atuação da equipe em uma ocorrência parecida.

Infelizmente, nem todos policiais conseguem valer-se desta arma emprestada em razão da vaidade. Não aceitam que um subordinado o ensine a trabalhar e cometem muitos erros.

O que eles não conseguem entender é que a experiência não tem nada a ver com o posto ou graduação, mas com o tempo em que o policial assumiu a função e com as vezes em que teve que atuar.

3. Conhecimento jurídico

É imprescindível conhecer as diversas legislações, com destaque para as de caráter criminal e constitucional.

É inaceitável que o policial seja o agente de segurança pública mais próximo do cidadão e não conheça as normas legais que regulam sua atuação profissional.

Felizmente, os policiais tem melhorado seu conhecimento jurídico, tanto no âmbito interno, com os diversos cursos da corporação, quanto no âmbito externo, com a busca de formação acadêmica, como já tratado no artigo “Acesso a educação: direito dos militares ou concessão dos comandantes?”

4. Verbalização

Muitas vezes, esta arma é menosprezada, mas o policial que sabe usá-la, tende a evitar o confronto ou minimizá-lo ao máximo.

No momento em que os cidadãos acreditam que têm direitos demais e deveres de menos, o policial deve procurar usar a força de uma forma escalonada, iniciando pela verbalização, se possível.

O militar pode resolver certas situações apenas na conversa. Nem sempre o infrator é violento, mas está passando por uma crise.

Quem já teve que atuar em ocorrência com indivíduo que sofre de algum distúrbio mental, sabe muito bem como é necessário ter paciência para conversar, conversar e conversar.

5. Instrumentos de menor potencial ofensivo

De acordo com a Lei 13060/14, são instrumentos projetados especificamente para, com baixa probabilidade de causar mortes ou lesões permanentes, conter, debilitar ou incapacitar temporariamente pessoas.

A lei determina que deve ser priorizada a utilização destes equipamentos, desde que não coloque em risco a integridade física e psíquica dos policiais.

Em determinadas situações, realmente é preferível utilizar o bastão de madeira, spray de pimenta ou a pistola de choque, que incapacitarão o abordado momentaneamente para que seja contido e algemado.

6. Saber usar armas de fogo

Para aqueles que responderam que a principal arma policial é a arma de fogo, fica uma dica: portar uma pistola ou revólver no coldre não significa, necessariamente, estar armado.

É preciso saber se ela está em condições de uso. Alguns policiais não se lembram quando foi a última vez que fizeram uma inspeção, uma limpeza.

O uso da arma de fogo é uma medida extrema e em último caso. Não é correto simplesmente chegar na intendência, pegar uma carabina, uma submetralhadora ou um fuzil, e ir para rua, se não souber como usá-los.

7. Qual a principal arma policial?

Como ressaltei no início, não há resposta errada para esta pergunta. Comentei neste artigo sobre importantes armas utilizadas pelos policiais. E você, qual é a sua opinião?

2 Comentários


  1. Bom dia, prezado Matheus

    Depende de que arma você está falando. Os próprios policiais podem ir a uma loja de artigos militares e comprar uma algema ou tonfa, que também são armas não letais.

    Por outro lado, algumas armas são adquiridas exclusivamente pela corporação, como é o caso das armas de impulsos elétricos e spray. E mesmo que alguns materiais sejam encontrados a venda, o policial deve utilizar o fornecido pela Polícia Militar.

    Responder

  2. Boa tarde,
    Pretendo entrar para a carreira policial assim que tiver todos os requerimentos e tenho estudado muito para isso, porém, encontro algumas perguntas as quais não encontro resposta, por exemplo:
    O uso de armas não letais para o uso do profissional durante a atuação, deve ser exclusivamente dada pelo estado ou o próprio policial pode comprar o taser/spray para o uso em serviço?

    Aguardo.

    Responder

Deixe aqui seu comentário