Cuidado com quem você tecla no Facebook

Tempo de leitura: 2 minutos

A principal rede social da internet, o Facebook, possibilita as pessoas o contato social, ainda que virtual, com um número ilimitado de amigos em todo o mundo.
 
 

Mas seus usuários devem ter atenção com quem eles se relacionam, pois nem sempre acaba bem e viram caso de polícia.

Constantemente, é veiculado pela imprensa casos em que amigos virtuais resolvem se encontrar pessoalmente e um dos dois tem uma surpresa desagradável, seja pela discrepância da aparência física, seja por descobrir que a outra pessoa é uma criminosa, ou para desespero de muitos pais, quando um filho some em companhia de alguém que conheceu pela internet.

Quando a decepção acontece simplesmente em razão do amigo virtual ter passado sua descrição física mais parecida com a de um(a) modelo(a) e, quando chega pessoalmente, descobre que aquela pessoa mentiu, tendo uma aparência muito diferente da esperada, menos mal.

Nesta situação, basta uma desculpa qualquer e voltar para casa. Mas nem sempre isto acontece. E aí, a polícia é acionada. Foi o que aconteceu um dia destes, durante mais um plantão da madrugada.

Uma senhora ligou para o 190, relatando que conheceu um cara pelo Facebook e marcou para ele ir a casa dela. Chegando lá, eles se desentenderam, pois ela não queria nada a mais que uns beijos e abraços.

O jovem, insatisfeito com a rejeição da mulher, retirou um revólver de sua cintura, em um ato que amedrontou a solicitante. Ainda bem que ele foi embora e não aconteceu algo de mais grave.

Um dos piores acontecimentos está relacionado a pedofilia. Adultos criam perfis falsos e se passam por jovens para enganar crianças e adolescentes, induzindo-os a postar fotos e vídeos em momentos íntimos.
 

Após conseguir qualquer material, os infratores fazem chantagem para que aqueles menores não informem seus pais ou responsáveis sobre o que está acontecendo, perpetuando o problema.

Os infratores mantem as fotos e vídeos em arquivos pessoais e também trocam com outros infratores, através da internet. 

Finalizando esta série de exemplos, muitos pais ligam desesperados porque seus filhos fugiram de casa na companhia de pessoas que conheceram através das redes sociais.

Muitas vezes, estes jovens são mantidos em carcere privado, obrigados a se prostituirem e até mesmo envolvidos no mundo obscuro de tráfico de pessoas.

Estes casos são apenas alguns exemplos mais recorrentes de problemas enfrentados por usuários da internet, com destaque para o Facebook, que é a rede social mais utilizada atualmente.

O acesso é livre, porém deve ter o mínimo de responsabilidade e precaução, no caso de usuários adultos.

Por outro lado, os pais e responsáveis devem redobrar a atenção, pois aquele amiguinho que o filho tem no Facebook pode ser, na verdade, alguém bem mais velho tentando corromper nossas crianças.

Facebook: curtir ou não? A resposta varia conforme o modo de usar e com quem se relacionar.

Deixe aqui seu comentário