Policiamento especializado com motocicletas

Tempo de leitura: 2 minutos

Quantas vezes você já esteve em seu veículo e sua visão era esta?

Pois é, este é nosso trânsito caótico de cada dia, não somente nas capitais e regiões metropolitanas, mas em todos os centros urbanos. Isto se deve ao grande número de novos veículos sendo colocados em circulação nas ruas das cidades.

Enquanto o quantitativo de veículos sobe constantemente, o espaço geográfico não se altera, provocando os grandes congestionamentos que já são tão corriqueiros em nosso dia-a-dia.

Tal situação dificulta o deslocamento de viaturas de quatro rodas, impossibilitando muitas vezes o êxito da atuação policial.

Uma guarnição “agarrada” em uma fila de veículos que se locomovem em baixa velocidade pode ser o determinante para que o crime ocorra, prejudicando o principal objetivo da polícia, que é prevenir o fato.

Além disto, se a demora for considerável, ficaria prejudicado também um rastreamento e prisão dos autores de crimes, diminuindo assim a confiança da população no trabalho policial.

Uma saída para esta dificuldade seria o uso de motocicletas, pois elas têm maior mobilidade, conseguindo passar por trajetos impossíveis para viaturas de quatro rodas.

Todos os setores da sociedade têm aumentado o número de motocicletas quando comparado aos automóveis, inclusive os infratores da lei.

A grande maioria dos crimes violentos são praticados por indivíduos utilizando motocicletas para consumar o fato e evadir no menor tempo possível.

Devido a sua peculiaridade, as motos policiais são comumente lançadas nos grandes corredores urbanos, principalmente nas áreas comerciais, bancárias e/ou de grande fluxo de pessoas, de forma aumentar a sensação de segurança de forma preventiva, a princípio.

No entanto, se mesmo assim o crime ocorrer, os policiais motociclistas tem a missão de chegar primeiro ao local do fato para o primeiro combate, tomar conhecimento do ocorrido e repassar informações para as outras viaturas, através da rede-rádio.

Além de perseguir os infratores que estiverem evadindo, principalmente se estiverem em motocicletas, o que seria bem mais difícil para as viaturas de quatro rodas, que, nesta situação, teriam a função de auxiliar em uma operação de cerco e bloqueio, de forma a conseguir localizar e abordar o veículo em fuga.

O serviço de motocicletas é subdividido em alguns grupos com características diferentes: Moto ROTAM, GIRO, GEPMOR, Patrulha de trânsito.

Além do risco de vida comum do serviço policial, os motociclistas ainda correm o risco de envolverem em um acidente de trânsito. Apesar disto, estes bravos guerreiros estão sempre prontos para servir a população.

1 comentário

Deixe aqui seu comentário